STARTUPS

Itaperuna no programa StartUp Rio 2020

0
Google Launchpad no Rio: uma plataforma de treinamento para startups cariocas

Movimento iniciado em 2019 , a NoroesteValley – Comunidade de Inovação Aberta, já mostra a que veio, se tornando uma comunidade com representatividade no Estado do Rio, com o aval da ERREJOTA COMUNIDADE.

E oficialmente nesta terça-feira, 26 de maio, a cidade de Itaperuna, se tornou mais um capítulo da história do programa StartUpRio , entrando no edital e sendo apta a incubar até 10 Startups , que recebem um aporte de R$ 60.000 a fundo perdido .

Um passo incrível para a inovação em todo o Noroeste do Estado, pois agora entramos no circuito, em um momento que a inovação passa a ser o motor de propulsão , para superarmos os desafios do mundo pós-Covid.

Fabrício Boechat , Head e um dos fundadores da comunidade

Abaixo leia a íntegra da notícia, publicada no portal da Faperj.

Programa Startup Rio 2020 – Apoio à Difusão de Ambiente de Inovação em Tecnologia Digital no Estado do Rio de Janeiro aumenta de três para 12 o número de cidades alcançadas pelo edital. Nesta edição, serão selecionados até 240 propostas. Pela primeira vez, além da capital fluminense e das cidades de Petrópolis e Barra Mansa, locais de execução que já haviam sido incluídos na edição anterior do programa, na presente edição os proponentes poderão selecionar como local de execução as cidades de Macaé, Paracambi, Engenheiro Paulo de Frontin, Campos dos Goytacazes, Mangaratiba, Mesquita, Nova Iguaçu, Vassouras e Itaperuna.

Uma iniciativa conjunta da Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e da FAPERJ, o programa contará com um total de R$ 6 milhões para investimentos nas suas diferentes estapas.

O presidente da FAPERJ, Jerson Lima Silva, destaca que o edital busca contribuir para o avanço do ecossistema de ciência e inovação do estado do Rio de Janeiro, apoiado pela FAPERJ. Ele destaca que o programa avança em sua atuação no interior do estado, buscando estender a aplicação da metodologia desenvolvida pelo Startup Rio para dar apoio a empresas nascentes em municípios fluminenses. “Esta edição do Startup Rio permitirá o fortalecimento de ações nos locais onde já existem mecanismos promotores de negócios inovadores e, ao mesmo tempo, a chegada de ações no campo da inovação e empreendedorismo, em parceria com as Instituições locais, nos municípios em que em que estes mecanismos são mais escassos ou até inexistentes”, disse.

De acordo com o Coordenador Geral do Programa, Paulo Espanha, o Startup Rio chega à sua 5ª edição como o mais ambicioso programa estadual de fomento e inovação de todos os tempos. “Visando aumentar o campo de atuação, essa edição estará presente em nove cidades fora da capital. Isso mostra o compromisso de levar a mesma qualidade de capacitação de empreendedores desenvolvida na sede do Startup Rio, no bairro do Catete, para as demais cidades do Estado, fortalecendo a presença e atuação da Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação no interior”, disse. “Com esse projeto, estamos construindo um novo e melhor futuro aos jovens empreendedores ao lançarmos as bases de um ambiente de negócios mais nutrido para o crescimento de novas e bem formadas Startups”, completou.

O Programa Startup Rio visa incentivar, estimular, apoiar e promover iniciativas que versem sobre a temática da Difusão do Ambiente de Inovação em Tecnologia Digital. É fundamentado no incentivo ao desenvolvimento de ideias cujos resultados poderão acarretar a abertura de empresas de base tecnológica, normalmente denominadas como Startups, aumentando os empreendimentos que possam ser validados e apropriados pelo mercado, estimulando, desta forma, o crescimento com qualidade do ecossistema de empreendedorismo digital no Estado do Rio de Janeiro.

Os projetos submetidos deverão propor o desenvolvimento de modelo de negócios inovador ou produtos, serviços ou processos inovadores nos seguintes segmentos: Serviços de Internet, Aplicativos para Internet, Tecnologias Sustentáveis, Jogos Eletrônicos e Aplicações da Tecnologia Digital em geral, apoiados no uso de tecnologias habilitadoras como Tecnologia de Registro Distribuído (DLT), inteligência Artificial (IA), Internet das Coisas (IoT) e Realidade estendida (XR).

O tempo total de execução dos projetos será de oito meses, dividido em três fases. Nos primeiros três meses, os selecionados participam do programa Avançado de Formação Empreendedora (PAFE), composto de treinamentos, consultorias, atividades de nivelamento, técnicas de gestão, validação da ideia e elaboração do plano de negócios. Nas duas fases seguintes, com duração de dois e três meses, respectivamente, os selecionados receberão verba de até R$ 60 mil cada, dividida em duas parcelas de, respectivamente, R$ 20 mil e R$ 40 mil, e terão acesso a mentoria, desenvolvimento de produto, técnicas de vendas e de gestão e construção de produto mínimo viável.

O prazo para submissão de propostas foi encerrado no dia 15 de junho. O programa tem previsão de começar no dia 10 de setembro.

André de Araujo
Maker e Fouder na Noroeste Valley

    Empresas transformam cinzas de pessoas e animais em árvores; entenda

    Previous article

    WhatsApp lança ferramenta contra fake news

    Next article

    Comments

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Login/Sign up